banner_white05

Niterói de Bicicleta no evento Bicicultura 2016

02/06/2016

  

Bicicultura 2

Foto: Isabela Ledo/ Niterói de Bicicleta

  

Entre os dias 26 e 29 de Maio, aconteceu em São Paulo o evento Bicicultura2016. 

 

O encontro, o maior do país, tem como foco dois temas principais: a mobilidade por bicicleta e o cicloativismo. Convidado pelo Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP), o Programa Niterói de Bicicleta esteve presente em diversas atividades ao longo do evento.  

 

Enquanto palestras, painéis e debates se concentraram nos espaços internos da Praça das Artes e da Galeria Olido; oficinas, pedaladas, competições e uma feira de exposição com artesanato e gastronomia temáticos ocuparam diversas áreas externas do centro da cidade, na própria Praça das Artes e no entorno do Teatro Municipal.

 

Na edição deste ano, alguns tópicos tiveram destaque na programação. O empoderamento feminino, a igualdade de gêneros e o direito à cidade foram temas recorrentes nas palestras, discussões e oficinas realizadas.

 

Tratando‐se de infraestrutura cicloviária, apresentações de cidades como Nova Iorque (EUA), apontaram para uma tendência mundial de reordenamento e redesenho dos espaços urbanos, incluindo‐se aí espaços viários, focados nas pessoas. Neste novo cenário, a bicicleta é elemento protagonista, promovendo a humanização e a democratização destas áreas. No contexto nacional, a apresentação e divulgação da campanha “Bicicleta nos Planos” em oficinas específicas, trouxe a experiência das cidades brasileiras bem sucedidas em inserir a bicicleta em seus planos de mobilidade municipais.

 

Ainda abordando a questão da infraestrutura cicloviária, a apresentação de estudos de casos sobre diversos sistemas de bicicletas compartilhadas atualmente em operação no mundo, comprovam que estas iniciativas potencializam o uso deste meio de transporte e devem portanto fazer parte da agenda das cidades cicloinclusivas.  

 

Outro tema bastante relevante, tratado em palestras e oficinas, refere‐se às as novas tecnologias usadas para mapear e avaliar a qualidade e o rendimento de infraestruturas cicloviárias já implementadas. A novidade é que cada vez mais estão sendo desenvolvidas plataformas cujos dados são abertos (open source) e inseridos de forma coletiva, características essenciais para desestimular o monopólio destas informações por empresas privadas.

 

 

No domingo, durante a cerimônia de encerramento do evento, a assembléia da União de Ciclistas do Brasil definiu por votação que o Bicicultura 2018 será sediado pela primeira vez no Rio de Janeiro. Na mesma ocasião a cidade também será palco do VeloCity, a maior conferência sobre ciclismo do mundo. O Bicicultura 2016 foi idealizado e realizado pela União de Ciclistas do Brasil ‐ UCB, Ciclocidade, Instituto CicloBr e Instituto Aromeiazero, contando com o patrocínio Banco Itaú e o apoio institucional da Prefeitura de São Paulo. Apoiaram também o evento diversas organizações não governamentais cujo trabalho é focado no tema da mobilidade sustentável.