banner_white05

Levantamento aponta que 75% dos ciclistas usam a bike para trabalhar

16/07/2016

 

 Foto: Pedro Conforte/ A Tribuna

 

Uma pesquisa com ciclistas de todo país apontou que 11% dos trabalhadores utilizam bicicletas para chegar ao trabalho.

 

Em Niterói esse número é assustadoramente maior, cerca de 75% dos ciclistas entrevistados utilizam a bike para irem ao trabalho. O número de ciclistas em Niterói também cresceu muito nos últimos anos e consequentemente o quantitativo de pessoas que optaram por ir com a “magrela” para o trabalho também despontou.

Dados do grupo CCR Barcas apontam que atravessam a Baía de Guanabara diariamente cerca de 400 ciclistas. Em 2012 a média diária de bicicletas na linha de Niterói (entre 7h e 12h) era de 120 veículos. Em 2016, no mesmo período, identificamos uma média de 400 bicicletas nessa linha.

O Grupo Mobilidade Niterói fez um levantamento e apontou um aumento de 35,63% entre junho de 2016 e 2015 de pessoas andando de bicicleta na cidade. Em junho passado foram contados 89,5 ciclos por hora, este ano foram contados 120,5 ciclos. A maior contagem desde janeiro de 2015. Da mesma forma se comparada apenas as médias dos primeiros 6 meses de 2015 com os primeiros seis meses de 2016 constata-se um aumento considerável de 83,08 ciclos/hora para 103,16 ciclos/hora, um aumento de 24,16%. Niterói é uma cidade onde a bicicleta é a melhor opção para o deslocamento dos ciclistas pois suas distâncias pequenas e um raio de cinco quilômetros, que é uma distância confortável para qualquer nível de ciclista.

O vendedor Jailton deolindo, 30 anos, pedala 16 quilômetros todos os dias saindo da Engenhoca para Icaraí, onde trabalha. Ele assumiu este estilo de vida 2008 e nunca mais parou.

“Eu aconselho a todos a utilizarem a bicicleta para trabalhar. Você vê que tudo muda, sua saúde, respiração e alimentação. Hoje a minha vida é outra. Quem trabalha no Rio tem o benefício de poder usar as barcas”, disse.


O funcionário público, Cláudio Azevedo, 53 anos, trabalha de bicicleta há sete anos e afirma que se deslocar para o trabalho, no Rio, de bicicleta ajuda a fugir do engarrafamento. No entanto, ele cobra um estacionamento gratuito de bicicleta na estação das barcas na Praça Arariboia.

“Um estacionamento de bicicleta será ideal aqui, mas não pode ser pago. Deveria ser gratuito”, disse.

Dados complementares

39,1% dos ciclistas utilizam a bike pela rapidez e praticidade.
2,3% por preocupação ambiental
25,3% custo
25,3% saúde
6,9% outros

Principais destinos utilizados pelos ciclistas em Niterói
75% trabalho
24,2% escola e faculdade
70,4% compras
76% lazer