Mortalidade materna é tema de seminário no Solar do Jambeiro Imprimir

25/10/19 – A Fundação Municipal de Saúde (FMS), por meio da Maternidade Municipal Alzira Reis Vieira Ferreira (MMAR), promoveu na manhã desta sexta-feira (25), no Solar do Jambeiro, no Ingá, o primeiro Seminário “Experiência de Construção na Atenção Interprofissional ao Parto e Nascimento e Combate à Mortalidade Materna” da Região Metropolitana II do Estado do Rio de Janeiro. O evento reuniu cerca de 50 pessoas, entre profissionais de saúde e professores, interessadas no tema.


De acordo com a diretora da maternidade, Adriana Cersósimo, o encontro teve como objetivo divulgar a experiência da equipe da unidade na assistência ao parto humanizado, promovendo a atenção compartilhada interprofissional, fato que mobiliza diariamente médicos e enfermeiros obstetras e pediatras.

Ainda segundo a diretora, representantes dos sete municípios da Região Metropolitana II estiveram presentes. Na ocasião, numa roda de conversa, a experiência do Apiceon no aprimoramento de enfermeiros obstétricos, junto com as equipes médicas, somou-se às discussões. “Isso reforça a qualidade da assistência e contribui na diminuição da mortalidade materna, das taxas de cesarianas e diminuem as intervenções desnecessárias”, enfatizou Cersósimo.

O evento teve início às 9h, com mesa de abertura reunindo representantes da APICE-ON (MS), SES, FMS e Maternidade Municipal Alzira Reis. Às 10h, Mesa Redonda com o tema: “Experiência de construção na atenção interprofissional ao parto e nascimento e combate à mortalidade materna: formação e intervenção em serviço”. Mediadora: coordenadora de Obstetrícia da MMAR, médica Ana Cristina Lobato;

Na sequência, o professor Valdecyr Herdy Alves, da coordenação do Curso de Aprimoramento em Obstetrícia falará sobre a “Formação e os elos entre gestão e atenção à saúde de mulheres com vistas à diminuição da mortalidade materna”. Na ocasião, ele informou também que o projeto envolve 64 profissionais de todo o país. Logo depois, a diretora Adriana Cersósimo, falou sobre “Estratégias da Gestão para consolidar o Apiceon e efetivar a atuação interprofissional no parto e nascimento”. Em seguida, o médico Gustavo Feijó e enfermeira obstetra Luana Asturiano apresentaram um relato de suas experiências vividas no Curso de Aprimoramento Interdisciplinar em Obstetrícia (Caio) da MMAR e debateram a “Atuação interprofissional na atenção à saúde de mulheres no parto e nascimento: desafios e perspectivas”.

A médica Miriam Carvalho, prosseguindo com o evento, trouxe para o debate o tema: “Atenção à saúde de mulheres no planejamento reprodutivo”. Fez, na oportunidade, um relato de experiências na construção do Projeto de Inserção do DIU pós-parto/abortamento articulado entre a atenção primária e a maternidade, visto que, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cinco mulheres morrem por dia no Brasil por questões relacionadas à gravidez e ao parto

O seminário contou com o apoio da Universidade Federal Fluminense (UFF), por meio da Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, bem como da Secretaria de Estado de Saúde (SES) e dos grupos Aprimoramento e Inovação no Cuidado e Ensino em Obstetrícia e Neonatologia (Apiceon), do Ministério da Saúde, e de Pesquisa - Maternidade, Saúde da Mulher e Criança.